Home » Turismo de Negócios » Hotéis de Salvador tem aumento na ocupação e queda da diária em agosto

Hotéis de Salvador tem aumento na ocupação e queda da diária em agosto

salvadorbahia

A rede hoteleira de Salvador apresentou em agosto taxa de ocupação de 59,33% e diária média de R$ 205,43, resultando em um Revpar (indicador ponderado de desempenho) de 121,88. A melhora na ocupação deu-se a custa de uma forte diminuição da diária média, que atingiu o ponto mais baixo dos últimos 2 anos.

Comparando-se com o desempenho do mesmo período do ano anterior, verifica-se aumento na taxa de ocupação, que passou de 46,64% em agosto de 2016 para 59,33% em agosto de 2017; e piora na diária média que teve queda de 14,2% (passando de R$ 219,61 em agosto de 2016 para R$ 205,43 em agosto de 2017). Ainda assim, o Revpar apresentou aumento nesse mês de agosto, se comparado com o mesmo período do mês anterior, em função do aumento da ocupação.

Dos 4 Polos hoteleiros da cidade coube aos que abrigam os hotéis voltados ao turismo de lazer e praia os melhores desempenhos ( Itapuã – Stella Maris), com diárias superiores à média e ocupação inferior à média; seguido pelos Polos do Centro – Pelourinho, Barra – Rio Vermelho e Stiep – Pituba.

Segundo dados da Infraero, no primeiro semestre de 2017 o número de passageiros no Brasil aumentou 0,2% em relação ao mesmo período do ano anterior, enquanto em Salvador o número de passageiros caiu 4,5% e em Recife aumentou 3,7%.

“Os resultados obtidos até agosto indicam que a hotelaria fechará o ano de 2017 com uma ocupação média de 54%, resultado melhor do que o de 2016 – considerado o pior da história da hotelaria – mas ainda abaixo de sua média histórica de 60%. Salvador continua sofrendo com o excesso de hotéis em relação a demanda e ainda estamos assistindo ao fechamento de estabelecimentos que não conseguem sobreviver nesta longa crise. É preciso retomar no curto prazo o número de visitantes para recuperar o equilíbrio”, pondera Glicério Lemos, presidente da Abih-Ba.

 

Os resultados são fruto da Pesquisa Conjuntural de desempenho (Taxinfo), realizada em parceria entre a Associação Brasileira da Indústria de Hotéis – seções Bahia e Brasil. Os dados são fornecidos diariamente pelos próprios hotéis ao Portal Cesta Competitiva e a média resultante constitui indicador para avaliar a evolução da atividade de hospedagem na capital.

A rede hoteleira de Salvador apresentou em agosto taxa de ocupaçãode 59,33% e diária média de R$ 205,43, resultando em um Revpar (indicador ponderado de desempenho) de 121,88. A melhora na ocupação deu-se a custa de uma forte diminuição da diária média, que atingiu o ponto mais baixo dos últimos 2 anos.Comparando-se com o desempenho do mesmo período do ano anterior, verifica-se aumento na taxa de ocupação, que passou de 46,64% em agosto de 2016 para 59,33% em agosto de 2017; e piora na diária média que teve queda de 14,2% (passando de R$ 219,61 em agosto de 2016 para R$ 205,43 em agosto de 2017). Ainda assim, o Revpar apresentou aumento nesse mês de agosto, se comparado com o mesmo período do mês anterior, em função do aumento da ocupação.

Dos 4 Polos hoteleiros da cidade coube aos que abrigam os hotéis voltados ao turismo de lazer e praia os melhores desempenhos (Itapuã-Stella Maris), com diárias superiores à média e ocupação inferior à média; seguido pelos Polos do Centro-Pelourinho, Barra-Rio Vermelho e Stiep-Pituba.

Segundo dados da Infraero, no primeiro semestre de 2017 o número de passageiros no Brasil aumentou 0,2% em relação ao mesmo período do ano anterior, enquanto em Salvador o número de passageiros caiu 4,5% e em Recife aumentou 3,7%.

“Os resultados obtidos até agosto indicam que a hotelaria fechará o ano de 2017 com uma ocupação média de 54%, resultado melhor do que o de 2016 – considerado o pior da história da hotelaria – mas ainda abaixo de sua média histórica de 60%. Salvador continua sofrendo com o excesso de hotéis em relação a demanda e ainda estamos assistindo ao fechamento de estabelecimentos que não conseguem sobreviver nesta longa crise. É preciso retomar no curto prazo o número de visitantes para recuperar o equilíbrio”, pondera Glicério Lemos, presidente da Abih-Ba.

Os resultados são fruto da Pesquisa Conjuntural de desempenho (Taxinfo), realizada em parceria entre a Associação Brasileira da Indústria de Hotéis – seções Bahia e Brasil. Os dados são fornecidos diariamente pelos próprios hotéis ao Portal Cesta Competitiva e a média resultante constitui indicador para avaliar a evolução da atividade de hospedagem em nossa capital.

About the author

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>